O efeito Siri na Lata

Siri na Lata

Já dizia o sábio Nelson Rodrigues: O Brasileiro sofre do COMPLEXO DE VIRA-LATA. No seu íntimo o brasileiro se acha o cocô do cavalo do bandido. Isso em qualquer área, o brasileiro médio já começa achando que vai perder. Vejam a copa do mundo, poucos se empolgaram previamente, depois rolou uma sensação de que se ganhássemos seria conchavo ou roubo, já que somos muito bom fazendo essas coisas.

Veja só a linha de raciocínio que rege o subconsciente do brasileiro. Fomos descoberto por acaso, pois Cabral estava indo para as índias para fazer comprinhas e esbarrou nas costas brasileiras, provavelmente porque o seu GPS estava desatualizado. Pra não deixar as terras sem representantes portugueses, o Rei enviou para a nova colônia recém-descoberta: os ladrões, exilados políticos, loucos e doentes. Um belo começo.
Nos livramos dos portugas depois de lutas com sangue nos olhos ( será mesmo ??? ). E iniciamos um amor platônico pelo USA e pra completar temos rixa com os argentinos que por proximidade teríamos muito mais afinidades mas deixa quieto. Deve ser porque mesmo todo melado de dejetos de vira lata , o argentino sempre será o melhor e andará de queixo erguido. Mas como sempre na psiquiatria, traumas nunca andam sozinhos e sendo assim.
Para as coisas ficarem ainda piores temos o efeito colateral do Complexo de Vira-Latas, o tal efeito “ Siri na Lata “ para quem nunca conviveu com esse crustáceo muito apreciado nas praias do nordeste, o mesmo é caçado vivo no mangue, amarrados juntos com os pobres colegas numa cordinha, e chegam a cozinha, na sua maioria vivos, e são colocados numa grande lata ou panela na qual fazem muito barulho mas não conseguem se organizar para fugir da prisão ( a lata ) e morrem todos com um banho de água fervente.
Neste ponto quem achou/percebeu analogias diretas com a política nacional e os mais focados com o nosso mercado de entretenimento, estes ainda tem salvação.
O mercado de entretenimento também sofre do efeito “Siri na Lata” todos sabem onde estão os problemas e até mesmo as soluções, mas não conseguem se mobilizar como grupo/classe para resolver os problemas. Nós, brasileiros, ainda precisamos de um herói, um salvador da pátria que indique caminhos que nos lidere, entretanto no momento que algo der errado, o herói vira mártir em dois tempos. Resumindo, alguém tem que tomar a iniciativa mas esse alguém nunca é você. Essa preguiça leva a busca de formatos prontos ‘CENAS’, que impede o crescimento, as mudanças. E por outro lado permite sermos manipulados das mais diversas formas, muitas vezes intimamente contesto a legitimidade de CERTOS movimentos espontâneos que surgem por aí, e em outros momentos algumas iniciativas REAIS são destruídas por EGOS e interesses individuais.

Porém AINDA podemos fazer algo antes da ÁGUA QUENTE cair na LATA…

http://youtu.be/tVRSGkWEpQo

Obrigado a João Santana pela revisão